Era uma vez uma janela…

– Você deveria voltar a escrever, já disse…

– Eu sei, mas…

– Mas o que, Beta? Você vai me dizer que não tem tempo? Enjoou do seu blog de novo? Não tá inspirada? O que é dessa vez?

– É… isso tudo aí que você disse. Faz um layout novo pra mim, faz? Quero tentar escrever outra vez, mas preciso me mudar pra uma casa nova!

– Outro blog? Já criei vários blogues pra você, pô!

– Eu sei, e eu te amo por isso. Prometo que se você criar um cantinho novo pra mim, eu volto a escrever. Você poderia fazer um layout de um jeito que…

– Espera! Tenho uma proposta: crio o seu blog novo, mas eu escolho tudo. Inclusive o nome, o endereço, e gostando ou não, você vai ter que escrever nele.

– Fechado!

E foi assim que ele abriu uma nova janela na minha vida. Dessa vez, a janela de cima, do alto, de onde eu pudesse ter uma visão mais ampla desse mundo que se revela cada vez mais maluco, de onde eu tivesse que correr o risco de cair. Era o que ele queria: que eu temesse cair, e mesmo assim eu me pendurasse, me arriscasse… e me atirasse se fosse preciso, como tantas vezes me atiro, de corpo e alma (mais alma do que corpo, é bem verdade).

Ele provoca o meu instinto criativo, desafia o meu trauma de exposição na internet, ri da cara da minha insegurança, me empurra no abismo, e ainda diz, sorrindo, que empurra porque sabe que eu tenho asas.

Obrigada por isso, meu amigo. Por enxergar as asas que, nos dias nublados, eu sou incapaz de ver.

O nome dele? Marcello Sampaio. Gravem esse nome, esse moço poeta, escritor e cineasta ainda vai dar muito o que falar.

… E, contrariando as expectativas, este blog completou um aninho de vida no dia 05 deste mês (!!!). Um ano inteiro de atualizações não regulares, porém, bem mais frequentes que nos meus quase 8 anos anteriores de blogueira.

E esta semana, como presente de aniversário, a Janela de Cima recebeu o comentário de uma leitora que, ao que parece, já lê os meus escritos há algum tempo, mas só agora resolveu se revelar, não só pra mim, mas pra ela própria, diante do mundo. Copio aqui um trecho:

“Roberta, eu não a conheço – a não ser pelos textos do blog – mas venho lendo seus textos – quase todos – e me identifico muito com o que você escreve, com você! E não é só porque fazemos aniversário no mesmo dia! (…) Precisava lhe escrever para te dar os parabéns pelos seus textos, suas fotografias, e também quero agradecer por se tornar uma das pessoas que me inspiram! Graças a você decidi finalmente abrir meu blog – e não foi por falta de vontade, mas sim de coragem ! (…) Mais uma vez, valeu mesmo por escrever! Não pare! Espero, assim como você, não só me expressar, mas inspirar alguém, mudar algo, fazer diferença !”

Ariane: sou tão grata a você por me ler quanto você é grata a mim por eu escrever. E minha gratidão vai além: obrigada, de coração, por, além de apreciar o que escrevo, dividir comigo uma coisa tão especial. Saber que, de alguma forma, minhas palavras te encorajaram a escrever, é qualquer coisa de maravilhoso.

Não pense que vai ser fácil, pois não será. Não o ato de escrever em si, mas o ato de se descobrir, se desvendar e, ainda mais, se revelar diante dos outros. Mas também não pense em desistir, te garanto que será uma experiência única, da qual muita gente passa por essa vida sem experimentar: o auto-conhecimento! Vai com tudo, Ariane, e depois me conta o resultado, combinado? 😉

Outro dia eu recebi um outro comentário, no mínimo curioso, sobre uma narrativa que publiquei aqui. Nele o autor dizia que o texto era bom, porém apelativo.

Well… tirando o texto que escrevi sobre o enfermo (esse aqui óh!), onde eu apelava para que a minha mãe me socorresse caso lesse o meu blog, pois eu estava infernalmente gripada e carente, não lembro de ter feito outros apelos por essas redondezas, de todo jeito, é bom esclarecer: eu não escrevo com a intenção de apelar, convencer, persuadir. Pra falar a verdade, eu nem tenho intenções ao escrever, eu simplesmente escrevo. E é bom, intenso, “é vasto, vai durar”.

Aos meus leitores que me lêem desde os primórdios da Blogosfera, seguidos daqueles que me “descobriram” ontem, meu muito obrigada e o meu melhor sorriso pelos comentários cheios de estímulo, carinho e até cumplicidade, pela troca de boas energias, boas ideias e conversa fiada da melhor qualidade.

Essa janela de arranha-céu, que não possui grades e não é segura, de onde tantos, mesmo assim, se penduram para acompanhar os meus devaneios, às vezes é luz, outras vezes escuridão, abre-se em momentos indeterminados, e fecha-se também. Aqui dentro vive essa moça incompleta, apoiada na janela assistindo assustada o mundo lá embaixo, outras vezes encantada, sempre sonhando com paisagens novas e cada vez mais bonitas, para seus olhos enxergarem e refletirem o que vêem.

Obrigada, meus queridos, por serem a extensão dos meus olhos…

Roberta Simoni

♪ ♫ ♪ ♫ ♪ “Da janela lateral, do quarto de dormir…” ♪ ♫ ♪ ♫ ♪

Anúncios

13 comentários sobre “Era uma vez uma janela…

  1. Parabéns pelo seu blog. Acho interessante essa coisa de escrever sobre o cotidiano das pessoas e de seu próprio. Se vai agradar ou não, isso é outra coisa. Mas com tanta coisa inútil que se tem hoje em dia, é muito bom encontrar blogs assim como o seu.
    Te confesso que este está nos meus favoritos. Adoro. Acompanho outros tbm. E todos são assim, leves e interessantes.

    Continue assim, escrevendo sobre suas coisas, sobre sua vida, por que tenho certeza que muita gente se identifica. Assim, como eu!
    E não fique muito tempo sem postar… please! (risos)

    beijos

    Curtir

  2. Escrever liberta a gente da gente mesmo. Coisa louca né?

    é isso que se descobre depois de algum tempo. e é por isso que fica tão díficil deixar de fazê-lo.

    em comemoração ao primeiro ano do Janela de Cima só posso dizer uma coisa: escreva, escreva e escreva.

    🙂

    beijos, bonita! parabéns

    Curtir

  3. Beta,

    parabens pelo aniversario.
    “Aqui dentro vive essa moça incompleta, apoiada na janela assistindo assustada o mundo lá embaixo, outras vezes encantada, sempre sonhando com paisagens novas e cada vez mais bonitas, para seus olhos enxergarem e refletirem o que vêem”
    Soh a sua sinceridade,a maneira como vc se entrega ao que escreve ja valem a visita aqui.
    beijos

    Curtir

  4. E eu aqui tentanto não me emocionar com o verdadeiro amigo ou com a tua gratidão pelos que te seguem…

    E sem menos esperar…“Da janela lateral, do quarto de dormir…” pô…não faz mais isso, ou avisa antes que quem sabe eu seguro o choro =/

    Ah! Parabéns pelo Aniversário…

    Lica!

    Curtir

  5. Oi, moça.

    Primeiramente acho que devo dar os parabéns pelo aniversário do espaço: blog atualizado fazendo aniversário é que nem filho, imagino, dá um orgulho danado de ver que a gente está conseguindo criar o bichinho, e que ele está se desenvolvendo, crescendo e até fazendo graça para as visitas, de vez em quando. Então: parabéns. 🙂

    Bem, agora vamos lá: sempre fico meio sem jeito de comentar em blogs de gente que não me conhece, uma neura de parecer uma maníaca, ou só bastante boba, ou sei lá mais o quê. Daí que muitas vezes eu não digo é nada. Como temos uma comunidade do orkut em comum, uma vez fui ao seu perfil, dai ao seu blog e, desde então, de vez em quando venho dar uma espiada nos seus textos. (vai, dá um desconto… isso não soa como papo de maníaco?!)

    Mas seu post me lembrou da minha própria felicidade sempre que um perfeito desconhecido diz que leu um texto meu; saber que há alguém de fato do outro lado, prestando atenção às linhas que redigimos quando a vida real dá uma trégua, uau, não é exatamente pouca coisa. E daí que escrever passa a ser mais que uma forma de entender a nós mesmos e ao mundo que nos cerca: vira ponte para o Outro.

    Enfim, aí desatei a escrever, nem que fosse para marcar presença. Pois é, tem gente lendo. E merecidamente, porque sua prosa é muito gostosa.

    (para quem estava com medo de ser taxada de maníaca, acho que me excedi no comentário, mas o mal está feito.)

    Um abraço, moça, e o desejo de um novo ano repleto de posts.

    Curtir

  6. O que mais eu posso te dizer hem? Quem se sente obrigada sou eu. Não agradeça. Você só esta tendo o que merece: minha gratidão, meus elogios, e claro, ganhando mais uma leitora fiel.
    Mas acho que mereço fazer um pedido: Não para de escrever!Nuunca!
    Obrigada Beta! Um Beijo.

    Curtir

  7. Janela de Cima: pela janela se olha mas tmbém se é visto. Dois pontos de vista (no mínimo).

    Como recente visitante, adorei olhar ai dentro e ver também aqui fora. Deixo meus parabéns e o desejo de mais aniversários com a Janela aberta.

    Curtir

  8. Você está cansada de saber, mas eu su um fã declaradíssimo desse seu talento para escrever; de todas as formas que você coloca suas palavras, ponto a ponto, suas colocações, seus questionamentos, sua liberdade de escrever sem culpa, que acaricia, diverte, emociona e faz bem!
    Que o mundo tenha acesso à todas as suas palavras e à essa pessoa e amiga MARAVILHOSA que você é! Continue fazendo muito por nós, seus admiradores, desta Janela de Cima!
    Te amooo!
    Muitos beijos do seu amigo e fã de sempre!!!

    Curtir

  9. Neguinha do meu cuore …

    Parabéns pelo primeiro aniversário do blog, e também para você pela persistência e dedicação, mas realmente quem ganhou o presente foram os seus leitores e seguidores, que puderam ao longo destes últimos 12 meses acompanhar posts de qualidade, contando suas experiências de vida,a busca por um lar, trabalho, felicidade, alegrias, tristezas, devaneios.
    Sempre criando bons textos, com conteúdo que realmente acrescenta e motiva quem está lendo.
    Com certeza essa é a primeira de muitas comemorações que ainda estão por vir em um dos melhores blogs da internet.
    Tenho muito orgulho de vc amiga. E termina logo esse livro pois eu quero ir na noite de autógrafos =D
    Sucesso hoje, amanhã e sempre.
    Te amo e mooooooooooitas saudades!!

    Bjos do seu solzinho

    Curtir

  10. Oi Beta,
    Acho que a Ariane não será a única a escrever um blog por sua causa. Hoje estava pensando muito nisso, pois tenho vivido algumas situações que me inspiram a escrevê-las.
    Hoje,por exemplo, levei as crianças a um lugar que você nem imagina! No correio, para enviar cartas para os primos no RJ. O João e a Mariana também. Eles escreveram as cartas, anotam os endereços nos envelopes,colaram selos e colocaram na caixa, como antigamente… Foi uma experiência muito interessante, que nos faz ter uma vontade enorme de registrar.
    Bem, mas como a Ariane disse vontade não falta, falta coragem de começar.
    Parabéns pelos seus textos. Você sabe que adoro lê-los. São encantadores e emocionantes. Torço para que um dia você consiga publicá-los, para que assim mais pessoas consigam se divertir e refletir com a leitura dos seus textos.

    Um grande beijo.

    Curtir

  11. OLÁ..em primeiro lugar quero dizer aki o não é mais novivade…vc é simplismente,não simplismente não,escandalosamente fantástica,quisera eu ter um punhadinho seuqer da sua criatividade na forma de se espressar…em segundo quando comecei a lê esse post estava cantanto essa música em q vc postou o vídeo,quase não acreditei q coincidencia caara!

    Muitos beijos !

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s