Porque sempre haverá o caminho de volta para casa…

“Certa vez havia um caminho para voltar para casa.
Certa vez havia um caminho para voltar para casa,
Durma, bela adorável, não chore,
E eu lhe cantarei uma canção de ninar.

Sonhos dourados enchem seus olhos,
Sorrisos lhe acordam quando você se levanta,
Durma, bela adorável, não chore,
E eu lhe cantarei uma canção de ninar.

Certa vez havia um caminho para voltar para casa.
Certa vez havia um caminho para voltar para casa,
Durma, bela adorável, não chore,
E eu lhe cantarei uma canção de ninar.”

(Tradução de Golden Slumbers –Sonhos Dourados” The Beatles)

Minha memória fotográfica é boa, mas não ajuda muito se eu não consigo lembrar o caminho. Sei como é, mas não sei onde é. Dizem que a minha desorientação geográfica serviria para estudos científicos. Não duvido.

Se você me ensina a ir até a sua casa uma vez e eu chego lá, não se iluda, da próxima vez que eu for, você vai precisar me ensinar o caminho todo de novo, e da terceira vez, da quarta… por isso, eu sei que muita gente se esforça para não perder a paciência comigo, e a minha bússola defeituosa agradece.

Mas tem um caminho que eu nunca erro, que eu sempre dou jeito de chegar, seja lá como for, eu chego: é o caminho de volta pra casa. Não o da minha casa, onde a minha bagunça divide espaço com a minha vida zoneada, mas a casa dos meus pais, “de mamãe e papai”, lá na nossa terrinha, de onde eles não têm a menor intenção de sair, nem eu de voltar. Mas eu sempre volto…

… E todas as vezes que eu entro na minha rua, meu coração dá uma festa! É lá… lá que está tudo de melhor que eu tenho na vida, é lá que eu encontro todo o amor e apoio que qualquer um precisa, e o meu coração – que não é bobo nem nada – já se tocou disso. E não importa se eu ficar um dia, ou um mês por lá, sempre vou embora ouvindo dele a mesma reclamação: “mas já?!”

Respondo que “já”, porque eu preciso trabalhar, ganhar dinheiro, dar continuidade aos meus planos quase sempre falíveis, porque eu não posso desistir de realizar os meus “sonhos dourados” que a minha terra se nega a realizar, e mais uma série de “porquês”. O coração se aquieta, mas não se conforma. Jamais.

Eu já estive do outro lado do mundo sem que o meu coração estivesse inteiramente ali, comigo. E eu sei que era que ele estava. E sempre estará. Uma parte, uma parte enoooorme, de mim sempre estará “lá em casa”, talvez por isso eu sempre acerte o caminho.

Às vezes bate uma vontade forte de voltar pra ficar, de acomodar a minha mala no fundo do armário do quarto vazio que ainda guarda o meu cheiro e que nunca se tranca com seus bichinhos de pelúcia sorridentes, registrando que uma criança foi muitíssimo feliz ali, e com seus lençóis limpos e coloridos, que me aquecem todas as vezes que faz muito frio aqui fora.

É que tem ficado muito apertado morar na minha mala, mas, eu sei… ainda não é hora de voltar. Mesmo assim é ótimo saber que lá, naquele lugar, existe um quarto com o meu cheiro, uma sala com fotos minhas nos porta-retratos, um cachorro que me derruba de alegria ao me ver, e sempre espera paciente no portão pelo meu retorno, uma irmã com saudades minhas, uma avó que reza um terço para mim todas as noites antes de dormir, e quarto braços sempre abertos, esticados na minha direção: dois da minha mãe e dois do meu pai.

Porque, felizmente, sempre haverá o caminho de volta para aquele lugar que eu chamo de lar.

Roberta Simoni

Anúncios

16 comentários sobre “Porque sempre haverá o caminho de volta para casa…

  1. Seu textos me atingem de uma maneira única, e isso me faz mto feliz! Reconheço os meus sentimentos nos seus, me sinto em casa, me sinto confortável e mtas vezes confortado pelas suas palavras! Beijo no coração.

    Curtir

  2. rá!!!!
    finalmente algo em que não somos parecidas!
    eu me acho tri facil, se já fui uma vez, quase sempre sei ir de novo! mas agora com tantos GPS, isse nem é mais uma qualidade!

    e ter esse lugar para voltar é quase mágico, né?

    beiJu

    Curtir

  3. Oi Amor de Mamy:
    Lindo e emocionante texto, como sempre.
    A gente consegue enxergar a sua alma naquilo que escreve.
    Além de chorar como seu pai, posso dizer que apesar da luta, creio que voltará vitoriosa, pra matar saudades, pra tirar férias e descansar.
    Mas é muito bom que você saiba, que por qualquer motivo, estaremos sempre aqui, com os braços realmente abertos e um colo para te acalentar.
    Bjs com muito amor e saudades…
    Mamy

    Curtir

  4. Oi,
    essa é minha primeira visita em seu blog porém, graças a um amigo já tinha ouvido falar sobre ele.
    preciso dizer que superou as minhas expectativas!
    gostei muito do que vi e desde já garanto que não será minha última visita.
    a respeito do texto:
    eu vivencio isso sempre que vou a casa da minha mãe. moro com meu pai porém ele também vive em são paulo e como moro em cabo frio-RJ você já pode imaginar.
    bom deixarei um pouco de palavras para comentar em outros textos assim que possível.

    Gui

    Curtir

  5. É sempre bom voltar pra casa!
    (:

    Um dia postei dizendo que a minha casa era a Pasárgada do nosso eterno Manuel Bandeira!

    Sempre será o melhor lugar para nos aquietar e nos dar força para continuar seguindo com os nossos sonhos por ai, no mundo!

    Adoro¹³²¹³¹ ler seu blog!
    Leio há mais de 7 meses já!

    Parabéns!
    Beijos.

    Curtir

  6. Lindo o mimo de sua mãe aqui e lindo blog o seu. Já o visitei mais de uma vez e acho de extremo bom gosto.Passando hj no blog Incompletudes acabei chegando aqui de novo e qual não foi minha surpresa quando percebi que vc me tem como um dos seus blogs preferidos-…estou retribuindo com um post inclusive e lhe pergunto se posso eventualmente usar umas fotos suas dando o devido crédito, of course… kisses

    Curtir

  7. Meu lar é o meu apartamento. Pela primeira vez na vida sinto isso. Pq a casa onde cresci, praticamente, ficou pra trás… e não sinto falta dela. Nem do lugar. Do passado, minha única saudade são as pessoas que não estão mais aqui comigo…

    Curtir

  8. Nossa Beta que lindo esse texto!!

    Olha que eu também já saí de casa, quebrei a cara, e quando voltei meus pais estavam lá de braços abertos dizendo: Vem minha filha, se você não tá feliz onde está, volta pra casa, estamos aqui te esperando…e isso não tem preço!!

    É sempre bom saber que podemos voltar…bjs!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s