Eu amo, tu amas, ele(a) inventa…

John Lennon abraçado a Yoko Ono. Nova York, 1980. (Foto de Annie Leibovitz)

Tem gente que a gente tem a obrigação de amar, que de tão amável, é inevitável. Algumas pessoas a gente acaba amando porque, de uma forma ou de outra, aprende a amar. Outras, nos cativam tanto que se tornam altamente amáveis. Outras, no entanto, não provocam nada, mas a gente ama mesmo assim, por motivos que a gente mesmo desconhece. Ou inventa.

Roberta Simoni