Eu amo, tu amas, ele(a) inventa…

John Lennon abraçado a Yoko Ono. Nova York, 1980. (Foto de Annie Leibovitz)

Tem gente que a gente tem a obrigação de amar, que de tão amável, é inevitável. Algumas pessoas a gente acaba amando porque, de uma forma ou de outra, aprende a amar. Outras, nos cativam tanto que se tornam altamente amáveis. Outras, no entanto, não provocam nada, mas a gente ama mesmo assim, por motivos que a gente mesmo desconhece. Ou inventa.

Roberta Simoni

Anúncios

8 comentários sobre “Eu amo, tu amas, ele(a) inventa…

  1. Pois bem, minha linda Beta…
    Hoje me desobrigo a amar algumas pessoas… Não porque são tão amáveis e por isso inevitável ama-las, como você disse. Mas porque de tanto amá-las, quere-las bem, querer contato e esperar contato, me cansei… Hoje as amo pois nasci em meio delas, mas já não me desgasto mais.
    Amo muito. Talvez seja esse seja o “problema”. Enquanto não resolvo isso, invento que não tenho precisões.

    Mil beijos!!

    Curtir

  2. amo apenas as coisas/pessoas simples.
    o complicado não me é estimulante.
    no entanto, o que é simples pra mim, parece complicado para os outros.
    o amor, enfim, acontece tão diferente pra cada um de nós!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s